A filha de Sousa Mendes que Portugal esqueceu nas homenagens ao Cônsul. E Manuel Dias nem recebeu convite. Crónica

(Foto de abertura: Marie-Rose Faure de Sousa Mendes. Foto: RTP/Jaime Guilherme

Os esquecidos nos convites para a cerimónia em honra de Aristides de Sousa Mendes, no Panteão, em Lisboa: Marie-Rose Faure de Sousa Mendes, uma filha do ex-cônsul, em França, e Manuel Dias, do Comité Nacional francês em Homenagem a Aristides de Sousa Mendes, de Bordéus.

Nas cerimónias no Panteão Nacional foram citados 14 filhos do antigo Cônsul natural de Cabanas de Viriato (Carregal do Sal). Afinal teve mais uma filha em França, que ficou esquecida e não foi convidada para as homenagens pelas autoridades portuguesas. 

 

Quanto a Manuel Dias, historiador e militante associativo, é estranho que não tenha sido convidado para as homenagens porque ele foi incansável, com outros seus camaradas, anos a fio, na defesa da memória do « Justo » e da sua ação humanista no Consulado de Bordèus, salvando milhares de judeus (e outros) com vistos, contrariando as ordens do ditador Salazar.

Esquecimento nos convites? Talvez ignorância, afirma Carlos Pereira, jornalista e diretor do Lusojornal. 

Crónica para ouvir na Rádio Alfa, na quinta-feira, 28, às 7h15, 13h15, 16h30 e 19h45. 

Ou ouça, aqui: 

 

Marie-Rose Faure Sousa Mendes com Manuel Dias, historiador e militante incansável pelo reconhecimento do papel do ex-cônsul em Bordéus durante a Segunda Guerra Mundial: 

 

Foto da filha de Sousa Mendes (jornal 20 minutes): 

 

 

 

 

td-main-content-wrap
Article précédentAutor da novela brasileira « Escrava Isaura » Gilberto Braga morre aos 75 anos
Article suivantOrçamento. AR chumba proposta do Governo na generalidade. PR Marcelo decide sobre eleições antecipadas