É mais fácil ser embaixador num país onde os portugueses conseguem colorir a Torre Eiffel. Opinião

A importância de ser embaixador num país onde vive mais de um milhão de compatriotas.

Bem aproveitada, a força da Comunidade dá uma ajuda considerável aos diplomatas nas suas relações bilaterais com os franceses.

Ouça aqui a útima crónica de Carlos Pereira, jornalista e diretor do Lusojornal:

td-main-content-wrap
Article précédentDepois de um ano angustiante, vem aí um novo que também vai começar complicado. Opinião
Article suivantUm crime cometido pelas autoridades que nunca deveria ter acontecido no Portugal democrático. Opinião