“Esta é a nossa bandeira, jamais será vermelha, daremos o nosso sangue para mantê-la verde e amarela” – Bolsonaro

Publié le 2 janvier 2019

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse no discurso que proferiu junto ao Palácio do Planalto, em Brasília, que este “é o dia em que o povo se começou a libertar do socialismo”.

Alfa/Expresso/LUSA/Outras fontes

Bolsonaro recebeu a faixa presidencial e voltou a defender a legítima defesa e o direito de propriedade. Também voltou a dizer que é preciso acabar com as “ideologias nefastas”, a corrupção, “os privilégios e as vantagens”, e restabelecer “padrões éticos e morais que transformarão o Brasil”.

O novo Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, recebeu esta terça-feira a faixa presidencial de Michel Temer, chefe de Estado cessante, que sucedeu a Dilma Rousseff há dois anos.

Milhares de brasileiros encheram o espaço defronte do Palácio do Planalto, em Brasília, para assistir ao fim das cerimónias de tomada de posse do novo Presidente, que terminaram com a passagem da faixa presidencial entre os dois políticos.

“A NOSSA BANDEIRA JAMAIS SERÁ VERMELHA”

Depois de receber a faixa presidencial, Bolsonaro leu um discurso já escrito. “Este é o dia em que o povo começou a libertar-se do socialismo, a libertar-se da inversão de valores, do gigantismo estatal e do politicamente correto”, começou desde logo por referir o Presidente brasileiro, perante milhares de apoiantes e ladeado pela sua mulher e por uma intérprete de linguagem gestual.

Depois, sublinhou que é preciso tirar “o peso do governo de quem trabalha”, “acabar com a ideologia que defende bandidos e criminaliza polícias” e defendeu ainda o direito de propriedade e a legítima defesa, conforme tinha já feito no Congresso no momento da tomada de posse, momentos antes.

Jair Bolsonaro afirmou que é preciso “fazer com que o Brasil ocupe o lugar de destaque que merece no mundo” e chamou a atenção para a necessidade de “tirar o viés ideológico das relações internacionais. “Vamos restabelecer a ordem nesse país. Sabemos do tamanho da responsabilidade e dos desafios que vamos enfrentar”. Mas também sabemos, continuou Bolsonaro, “onde queremos chegar e do potencial que nosso Brasil tem” – “por isso, vamos dia e noite perseguir o objetivo de tornar o nosso país um lugar próspero”.

O recém-empossado Presidente brasileiro voltou a falar em acabar com as “ideologias nefastas” que, a seu ver, destroem os valores e as tradições do país e apelou ao restabelecimento de “padrões éticos e morais que transformarão o Brasil”. “A corrupção, os privilégios e as vantagens precisam acabar. Os favores partidarizados devem ficar no passado para que o governo e a economia sirvam de verdade à nação”.

Voltou também a agradecer ao povo brasileiro – que ajudou a “montar um governo sem conchavos ou acertos políticos” e permitiu que Bolsonaro fosse eleito “com a campanha mais barata da história”, e referiu-se várias vezes a Deus – Deus que “preservou” a sua vida e Deus que lhe está no “coração” e ao qual pediu “sabedoria” para conduzir os destinos da nação. “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

O Presidente brasileiro encerrou o seu discurso exibindo uma bandeira do Brasil e afirmou: “A nossa bandeira jamais será vermelha”. E se for necessário “derramar sangue” para que ela “continue verde e amarela”, então que assim seja.

O Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, elogiou Bolsonaro pelo seu “grande discurso”.

Foto : RICARDO MORAES / POOL / AFP)

Marqué comme

Opinions des lecteurs

Laisser un commentaire

Votre adresse email ne sera pas publiée. Les champs requis sont indiqués avec *


Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background