“Falei com a CNE há 3 meses sobre voto dos emigrantes; ninguém ligou”. Ana Gomes critica Marcelo e Costa

Em entrevista exclusiva à Rádio Alfa, a candidata à Presidência portuguesa, Ana Gomes, é muito crítica em relação ao atual Presidente – e também candidato – Marcelo Rebelo de Sousa e igualmente em relação ao atual Primeiro-ministro, António Costa.

Sobre o facto de muitos expatriados não poderem exercer o seu direito de voto devido a ele ser apenas permitido presencialmente nos consulados, responsabiliza diretamente sobretudo o PR Marcelo e também o Governo por não terem atempadamente mudado o sistema de voto e tomado medidas.

“Muitos dos portugueses residentes no estrangeiro não poderão votar: é uma vergonha o que se passa com os nossos cidadaões expatriados!”, exclama a candidata da área socialista mas que não é apoiada oficialmente pelo PS.

“Falei com a Comissão Nacional das Eleições (CNE) há três meses sobre especificamente esse problema do voto dos emigrantes; ninguém ligou”, diz.  A candidata defende o voto por correspondência e mesmo por via eletrónica e promete colocar essa questão na agenda política se for eleita Presidente da República.

Sem papas na língua diz que o candidato do Chega, André Ventura, quer destruir “a nossa  democracia”, acusa Marcelo Rebelo de Sousa de o ter desvalorizado e diz que Ventura é apoiado por “gente do pior do tempo da ditadura e da nossa democracia, como o BES” (a propósito deste banco defende os chamados “Lesados do BES”).

Candidata contra a corrupção e pelo reforço da Justiça em relação aos chamados “grandes crimes financeiros”, Ana Gomes diz que, apesar da grave pandemia e da crise económica, acredita no futuro de Portugal que, afirma, sempre foi apoiado pelos emigrantes, designadamente com as remessas, que foram determinantes para o país em certas alturas difíceis da História de Portugal.

Entrevista para ouvir e ver na Rádio Alfa nesta terça-feira, 19, às 18h10.