Fête Littéraire Lusophone. O livro da Semana. Dois próximos programas

7, 11 e 13 de dezembro: DOMINIQUE STOENESCO, coorganizador da FÊTE LITTÉRAIRE LUSOPHONE

O LIVRO DA SEMANA, às quartas (12h30), aos domingos (14h30) e às terças (01h30). Com o apoio da Biblioteca da Fundação Calouste Gulbenkian de Paris.

A União Europeia de Escritores de Língua Portuguesa (UEELP) inaugura este fim de semana, em Paris, a sua primeira Festa Literária Lusófona. Uma iniciativa que tem o objetivo de ser replicada noutros países europeus, como a Alemanha, o Reino Unido ou a Bélgica. Esta Fête Littéraire Lusophone terá lugar durante todo o dia de sábado, 10 de dezembro, na Maison des Associations du 5è arrondissement no Quartier Latin (4 rue des Arènes: metro Jussieu).

As mesas redondas, as sessões de autógrafos e as apresentações de livros serão realizadas em língua francesa, dado que o principal objetivo da UEELP é o de promover as literaturas lusófonas. Os vários autores lusófonos que estarão presentes, a maioria já traduzida e publicada em língua francesa, vivem na Alemanha, em Itália, em Portugal e, claro, em França.

Não perca a conversa do escritor Nuno Gomes Garcia com Dominique Stoenesco, tradutor e cofundador da UEELP, e descubra uma “festa” onde se falará de literatura brasileira, de nova literatura portuguesa, nomeadamente a da geração afrodescendente, de poesia angolana e, elemento de enorme importância, do papel dos tradutores nesta passagem de uma cultura à outra.

Na Rádio Alfa, na quarta-feira às 12h30 (versão curta) e no domingo às 14h30 (versão longa). Repetição na terça-feira à 01h30 (versão longa).

14, 18 e 20 de dezembro: JOÃO CÉU E SILVA, autor de “ADEUS, CASABLANCA”

O LIVRO DA SEMANA, às quartas (12h30), aos domingos (14h30) e às terças (01h30). Com o apoio da Biblioteca da Fundação Calouste Gulbenkian de Paris.

João Céu e Silva estudou História no Rio de Janeiro e hoje, além de escritor, é jornalista no Diário de Notícias. O João sempre navegou pelas águas da ficção e da não ficção, por isso nada melhor do que misturar essas mesmas águas e partir de histórias verídicas para criar uma bela história de ficção. E foi exatamente isso que ele fez com o seu novo romance “Adeus, Casablanca”.

Não perca a conversa do escritor Nuno Gomes Garcia com João Céu e Silva e descubra um livro que se inspira no filme “Casablanca” (1942) e no célebre desvio do avião da TAP que fazia o voo Casablanca-Lisboa em 1961, no começo da Guerra Colonial que se arrastaria por 13 anos.

Na Rádio Alfa, na quarta-feira às 12h30 (versão curta) e no domingo às 14h30 (versão longa). Repetição na terça-feira à 01h30 (versão longa).

Um programa de Nuno Gomes Garcia:

Entrevistador – O Livro da Semana
td-main-content-wrap
Article précédentApoios americanos a empresas nacionais e internacionais criticados por Emmanuel Macron
Article suivantPASSAGE À NIVEAU – 4 DECEMBRE 2022