Depois de a tarde e noite de quarta-feira terem sido de sobressalto, com as chamas a atingirem uma grande velocidade em Silves – concelho vizinho de Monchique -, onde foram retiradas mais de 100 pessoas, a situação estava mais calma, não existindo frentes ativas, mas alguns « pontos quentes », informou a Proteção Civil, que alertou para a possibilidade de reativações.

Na noite de quinta-feira, a 2.ª comandante operacional nacional da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, disse que o incêndio estava « globalmente estabilizado », mas “não está dado como dominado” e “está neste momento ainda ativo”, sem a existência de frentes de fogo.

O fogo destrui total ou parcialmente cerca de 50 casas e perdeu intensidade devido a menos vento, à baixa das temperaturas e por haver mais humidade no ar. No total fez 39 feridos, um deles em estado grave.