Isabel dos Santos. O problema de uma transferência de 115 milhões da Sonangol para o Dubai

Publié le 19 janvier 2020

Isabel dos Santos terá transferido 115 milhões da Sonangol para o Dubai. Luanda Leaks: esquema de ocultação terá começado a ser montado assim que Isabel dos Santos foi nomeada pelo pai para gerir a Sonangol, informa o jornal Expresso

,Presidente de Angola

Foto
A transferência de 115 milhões de euros foi justificada como pagamento de serviços de consultoria prestados à Sonangol. FVL FERNANDO VELUDO/NFACTOS

Entre Maio e Novembro de 2017, estava Isabel dos Santos no ultimo terço do seu mandato à frente da petrolífera estatal angolana, a Sonangol, quando a empresa transferiu, pelo menos, 115 milhões de dólares de fundos públicos para a conta de uma empresa off-shore no Dubai. Este é apenas um dos casos revelados pela investigação feita por um consórcio internacional de jornalistas e que em Portugal é integrado pelo Expresso.

O caso Luanda Leaks, como está a ser referido na imprensa internacional, mostra como a filha do ex-presidente da República de Angola terá desviado fundos públicos para contas de empresas off-shore. Assim que o caso foi revelado, a empresária reagiu no Twitter acusando a SIC e o Expresso de “racismo” e de “preconceito”.

O Expresso escreve (síntese):

“Luanda Leaks. Exclusivo mundial. Como Isabel dos Santos desviou mais de 100 milhões de dólares da Sonangol para o Dubai”

“Esquema de ocultação começou a ser montado a seguir à filha do ex-Presidente de Angola ter sido nomeada pelo pai para liderar a petrolífera estatal. Documentos e testemunhos obtidos numa investigação Expresso/SIC, coordenada pelo consórcio ICIJ e com a participação de mais 34 órgãos de comunicação social de todo o mundo, mostram como isso envolveu um contrato celebrado no Reino Unido e teve a cumplicidade de vários portugueses, incluindo do atual chairman da NOS, o advogado Jorge Brito Pereira.

foto RUI DUARTE SILVA

“No intervalo de apenas seis meses, de maio a novembro de 2017, no último terço do seu mandato à frente da Sonangol, Isabel dos Santos fez com que a petrolífera estatal angolana para a qual tinha sido nomeada pelo pai, quando José Eduardo dos Santos era ainda presidente de Angola, transferisse pelo menos 115 milhões de dólares de fundos públicos para o Dubai.

“Justificadas como pagamento de serviços de consultoria prestados à Sonangol, essas transferências tiveram como destino uma conta bancária de uma companhia offshore, a Matter Business Solutions, controlada pelo principal advogado da empresária angolana, o português Jorge Brito Pereira, sócio da Uría Menéndez, o escritório de Proença de Carvalho.

A companhia offshore do Dubai contratada por Isabel dos Santos enquanto presidente do conselho de administração da petrolífera estatal angolana tinha, além disso, como diretor o seu principal gestor de negócios, Mário Leite da Silva, e também como diretora e única acionista declarada às autoridades do Dubai a portuguesa Paula Oliveira, amiga próxima e sócia da filha do ex-chefe de Estado angolano noutras sociedades”.

 


Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background