Lavar as mãos antes e depois de votar. Participação baixa nas eleições municipais francesas

Publié le 15 mars 2020

Lavar as mãos antes e depois de votar. Participação baixa nas eleições municipais francesas (Alfa/Expresso).

Participação às 12h locais era a mais baixa em pelo menos quatro décadas. Mesas de voto adotam medidas sanitárias e ninguém sabe se haverá segunda volta dentro de uma semana.

Por Daniel Ribeiro

Devido à crise do novo coronavírus, a votação para a primeira volta das eleições autárquicas francesas decorre, este domingo, num ambiente singular, por vezes angustiante e jamais visto.

Depois de toda França ter entrado numa fase de elevada limitação de mobilidade (fecho de cafés, bares, restaurantes, cinemas, museus e todos os locais públicos “não-essenciais”… mas com corrida aos supermercados), os eleitores foram chamados a votar para aquele que é o escrutínio mais amado pelos franceses – a eleição dos seus “maires” (presidentes de câmara) e outros autarcas.

A participação era, às 12h locais (11h em Portugal), de 18,38%, cinco pontos abaixo da eleição municipal anterior, há seis anos, e sem par nos últimos 40. Tudo indica que a abstenção será forte, embora deva ser menor do que se chegou a prever. A esta hora não é possível dizer se a segunda volta, agendada para o próximo domingo, dia 22, se realizará.

CONTAR VOTOS ENVERGANDO MÁSCARA

Está sol em Paris, muitas pessoas estão a votar, apesar da ansiedade que se sente nos seus olhares e dos fortes alarmes sanitários (medidas drásticas e, segundo um balanço de ontem ao fim da tarde, 91 mortos, 300 doentes em estado grave, 4499 infetados).

A situação é de grave apreensão nalguns locais de voto. Alguns dos assessores e escrutinadores das mesas eleitorais estão com máscaras. E os eleitores são obrigados a lavar as mãos antes e depois de votar, constatou o Expresso em três assembleias de voto do norte da capital.

O mais incrível é a imagem de pessoas a votar numa cidade que, sem esplanadas, cafés, restaurantes e bares, não é a mesma Paris que sempre conhecemos.

ADIAMENTOS HISTÓRICOS

Existe precedente de adiamento de eleições em França. Há mais de um século, decidiu-se protelar por três anos as eleições municipais de 1916, devido à Primeira Guerra Mundial. O mesmo em 1941, por causa da Segunda Guerra Mundial. Os franceses votaram apenas em 1945, após a libertação da ocupação nazi e dez anos depois das anteriores municipais.

Já em 2007, foi a acumulação de eleições que levou ao adiamento das eleições municipais por um ano. Houve presidenciais e legislativas, ambas disputadas a duas voltas, em abril, maio e junho desse ano, pelo que as locais ficaram para março de 2008.


Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background