Libertação de Carlos Ghosn foi anunciada e depois suspensa em Tóquio

Publié le 5 mars 2019

Tribunal de Tóquio concedeu liberdade sob fiança ao franco-brasileiro ex-presidente da Nissan, mas o procurador recorreu e o processo de libertação foi suspenso.

A caução estabelecida era de oito milhões de euros.

Devido ao recurso, a libertação vai ter de ser de novo examinada por um juíz, o que ainda deverá acontecer esta terça-feira.

Tribunal de Tóquio concede liberdade sob fiança a ex-presidente da Nissan

Carlos Ghosn foi detido há três meses na capital nipónica e poderá sair em liberdade ainda durante o dia de hoje.

Na segunda-feira, Hironaka afirmou ter proposto novas formas de monitorizar Ghosn após a libertação sob fiança, como vídeovigilância. Hironaka questionou também o fundamento da detenção de Ghosn, num caso que considerou “muito peculiar”, sugerindo que podia ter sido resolvido como um assunto interno da empresa.

No Japão, os suspeitos ficam em detenção provisória durante meses, frequentemente até ao início dos julgamentos. Os procuradores defendem que os suspeitos podem alterar provas e não devem ser libertados.

O empresário franco-brasileiro de origem libanesa Carlos Ghosn, de 64 anos, foi detido em novembro em Tóquio por suspeitas de fraude fiscal e de quebra de confiança.


Opinions des lecteurs

Laisser un commentaire


Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background