Macron sem solução para resolver a crise dos coletes amarelos

Publié le 9 février 2019

Manifestantes tentam entrar na Assembleia Nacional e no Senado. É o 13º sábado consecutivo de manifestações e de violência em Paris, que já contabiliza diversos feridos. Presidente Emmanuel Macron procura desesperadamente solução para acalmar a França

GONZALO FUENTES

Alfa/Expresso. Por Daniel Ribeiro

Treze semanas de manifestações e de violências, treze sábados consecutivos de guerrilha urbana, mais de três mil feridos (dezenas muito graves), 11 mortos (em acidentes relacionados com o movimento), centenas de detidos.

Ao início da tarde deste sábado decorriam manifestações muito tensas dos coletes amarelos em Paris e diversas grandes e pequenas cidades da província.

Na capital, manifestantes mais radicais tentaram entrar na Assembleia Nacional e no Senado e, às 14 horas locais (13 horas em Lisboa), já eram contabilizados diversos feridos em confrontos com a polícia.

À semelhança de sábados anteriores, mobiliário urbano foi destruído e numerosas fachadas de bancos e de seguradoras foram vandalizadas.

Maioria de franceses apoia “coletes”

Apesar da violência, as últimas sondagens são esclarecedoras: mais de 60 por cento dos franceses continuam a dizer que simpatizam com o movimento nascido na internet em novembro de 2018 contra os impostos e pelo aumento do poder de compra.

É aqui, no forte apoio popular aos “coletes”, que reside o principal problema do Presidente Emmanuel Macron: não conseguiu resolver a crise com cedências de 11 mil milhões às suas reivindicações nem, a seguir, com o endurecimento da repressão, que provocou várias feridos graves.

Agora, visivelmente, também não o está a conseguir resolver com o “Grande Debate Nacional” que lançou há algumas semanas. O próprio Macron desceu ao terreno para este “debate”. Vai duas vezes por semana às regiões discutir com franceses à média de seis horas por sessão, mas não consegue travar a revolta, muito violenta, nas ruas, todos os sábados.

Ao início da tarde de hoje, decorriam diversas manifestações em Paris e noutras cidades, num clima de enorme tensão.

Na capital, os problemas principais verificavam-se na zona da Torre Eiffel e também no Quartier Latin e na praça da Bolsa.


Opinions des lecteurs

Laisser un commentaire

Votre adresse email ne sera pas publiée. Les champs requis sont indiqués avec *


Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background