TAP pode precisar de €1,2 mil milhões. Insolvência está mesmo sobre a mesa?

Publié le 23 mai 2020

Ajuda pública. Empresa espera que apoio do Estado chegue em junho. Nervosismo dos fornecedores aumenta com espetro de insolvência. Emagrecimento é inevitável. TAP pode precisar de €1,2 mil milhões

A TAP, liderada por Antonoaldo Neves, espera, e desespera, pela chegada do apoio público para fazer face à crise provocada pela pandemia

por ANABELA CAMPOS

ATAP é cada vez mais um caso isolado em matéria de auxílios de Estado na Europa. Gigantes da aviação como a Air France e a Lufhansa já têm planos de milhares de milhões aprovados ou à espera de luz verde de Bruxelas, mas a transportadora portuguesa está ainda a dar os primeiros passos. Mais de dois meses após ter sido anunciado o estado de emergência em Portugal, e a viver uma situação de enorme fragilidade, a companhia continua à espera de saber qual será o plano de resgaste que lhe será aplicado. A cada dia que passa a situa­ção financeira agrava-se. Junho será um mês chave — é apontado pela gestão como o mês limite para que o apoio do Estado chegue. A ajuda pública é fundamental para assegurar a sustentabilidade e operacionalidade, admitem fontes da transportadora, embora garantam que a empresa ainda tem caixa para assegurar a sobrevivência.

Tal como as demais empresas de aviação, a TAP aguarda medidas específicas de apoio ao sector, mas nada saiu ainda da gaveta. A juntar a este cenário há uma crispação pública entre o Estado e os acionistas privados, David Neeleman e Humberto Pedrosa, protagonizada pelo ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, que tem contribuído para arrastar o processo. Depois da ameaça de nacio­nalização, um novo cenário saltou para cima da mesa — o da insolvência. Caíram como uma bomba as declarações de Pedro Nuno Santos esta semana no Parlamento: o Estado vai negociar com os acionistas privados sem excluir nenhum cenário, incluindo a insolvência. O aviso ficou dado. E causou espanto, pois ainda não tinha sido apontado como hipótese.

Mas este cenário estará mesmo em cima da mesa? Muitas questões se levantariam se fosse este o caminho a seguir pelo Governo, nomeadamente face aos obrigacionistas. A TAP tem emissões de dívida no montante de €570 milhões — €200 milhões no retalho e €370 milhões nos institucionais — e a insolvência deixá-los-ia numa situação de enorme fragilidade e seria um tiro no pé na reputação do Estado português. Um dia depois das declarações do ministro as obrigações de retalho da TAP estiveram em queda.

Arigo eclusivo continue em ler em expresso.pt

Marqué comme

Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background