Sérgio Conceição desvaloriza ausências de Marega e Corona frente à Roma, assumindo que é pago para encontrar soluções

Publié le 11 février 2019

O treinador Sérgio Conceição desvalorizou hoje as ausências dos avançados Marega e Corona no jogo de terça-feira frente à Roma na Liga dos Campeões de futebol, assumindo que é pago para encontrar soluções.

“Não há amarras nenhumas. Sou pago para encontrar soluções, não para estar metido em problemas. Lesões e castigos fazem parte da época desportiva das equipas. Tenho de arranjar soluções”, vincou.

Sérgio Conceição recorda que nunca se escudou de qualquer resultado menos positivo pela ausência de qualquer jogador, lembrando que na época passada sucedeu o mesmo e o FC Porto foi campeão português.

Se a lesão de Marega, que poderá estar afastado dos relvados durante cerca de dois meses, não dá margem a comentários, já a ausência de Corona é diferente, uma vez que a UEFA lhe aplicou mais um jogo de castigo por alegadamente ter provocado o cartão amarelo que lhe permitiria limpar o ‘cadastro’ no derradeiro jogo da fase de grupos, já com tudo decidido.

Sérgio Conceição elogiou o opositor – “a Roma tem uma equipa individualmente forte, com futebolistas muito interessantes e o terceiro melhor ataque do campeonato italiano, o que não é coisa pouca em Liga tão exigente” –, mas assume que está mais focado na “dinâmica coletiva” do seu antagonista.

“Faz parte do ADN das formações italianas serem consistentes a nível defensivo. Temos de ser uma equipa sólida, consistente, agressiva na forma de jogar com e sem bola, como nas provas internas. Parte do nosso sucesso passará pela consistência defensiva perante a qualidade individual na parte ofensiva da Roma. E vamos procurar a baliza adversária para fazer golos, pois isso seria importante”, avisou.

O defesa central Pepe defendeu que mais relevante do que a experiência vai ser a atitude que o FC Porto na visita de terça-feira à Roma, na primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol.

Na antevisão do desafio no Estádio Olímpico da capital italiana, o experiente futebolista separou as águas da ‘champions’ e da Liga portuguesa, refutando qualquer tipo de mau momento da equipa após dois empates consecutivos, em Guimarães e Moreira de Cónegos, que a deixa só com um ponto de avanço sobre o Benfica e dois sobre o Sporting de Braga.

“É sempre bom ganhar, mas não perdemos. Ainda não perdemos, quero deixar isso bem claro. São competições completamente diferentes e o nosso foco está na Roma, num jogo bastante difícil. Quem entrar vai dar o seu melhor, trabalhar, tentar honrar a camisola do FC Porto para dar alegria aos nossos adeptos”, prometeu.

Pepe sabe que a eliminatória será decidida no Dragão, contudo pretende levar já “uma vitória” na bagagem, apesar do “coletivo muito bom” que vê na Roma, uma equipa que “gosta de ter a posse de bola”.

O atleta de 35 anos, que voltou ao FC Porto no mercado de inverno, garantiu estar “bem, forte”, adaptado aos “níveis de exigência sempre altos” do clube.

O holandês Danny Makkelie é o árbitro do jogo de terça-feira entre a Roma e o FC Porto, da primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, que se disputa no estádio olímpico de Roma, a partir das 21:00 de Paris.

A segunda mão agendada para 06 de março, no Estádio do Dragão.

Alfa/Lusa.


Opinions des lecteurs

Laisser un commentaire


Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background