Covid-19. França fecha cafés, restaurantes, discotecas e cinemas a partir de meia-noite de sábado

Publié le 14 mars 2020

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, anunciou na noite deste sábado (14) um reforço das medidas de prevenção contra a propagação da epidemia de coronavírus no país. A partir da meia-noite, cafés, restaurantes, discotecas, cinemas, teatros e estabelecimentos comerciais considerados “não essenciais” permanecerão fechados por tempo indeterminado. Farmácias, lojas, bancos e supermercados continuarão abertos.

A França atingiu este sábado o nível 3 da epidemia, com 4.500 pessoas infectadas – número que dobrou em 72 horas -, 91 mortos e 300 doentes em estado grave, necessitando de aparelhos de respiração artificial. Todas as regiões estão afetadas, inclusivé os territórios ultramarinos, como Guadalupe, Martinica e Guiana Francesa.

A circulação viral é rápida e intensa, disse na conferência de imprensa o diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon. “A epidemia vai generalizar-se nos próximos dias e tudo vai depender do controlo; os franceses ainda não tomaram consciência da necessidade de mudar o seu comportamento individual para conter a propagação do novo vírus”, lamentou Salomon.

Minutos antes desta declaração, o primeiro-ministro francês também chamou a atenção dos franceses que continuavam a encher os bares e restaurantes, apesar do alto risco de transmissão do Covid-19. Philippe lembrou que 88% dos infectados curam-se da gripe, mas é necessário evitar um colapso no sistema público hospitalar com um número explosivo de internamentos simultâneos.

Os hospitais de Paris “nunca enfrentaram um fenómeno de tal magnitude”, disse o diretor-geral dos hospitais públicos de Paris, Martin Hirsch, em entrevista ao jornal Le Monde. “Pode haver um aumento em casos graves de 20% a 30% por dia”, o que “representaria 400 pacientes que necessitam simultaneamente de cuidados intensivos na região de Île-de-France [Paris e arredores] dentro de dez a quinze dias”, prevê Hirsch.

A França registou hoje o primeiro caso da infecção no sistema penitenciário. No estabelecimento prisional de Fresnes (região parisiense) uma pessoa de 74 anos contraiu o novo Covid-19. Depois de apresentar sintomas, foi levado para o hospital de Kremlin-Bicêtre.

O coronavírus também avança entre os políticos franceses. A secretária de Estado para a Transição Ecológica, Brune Poirson, 38 anos, deu positivo no teste do coronavírus, assim como a senadora Guylène Pantel. O ministro francês da Cultura, Franck Riester, e dez deputados foram contaminados.

Apesar das medidas tomadas para conter a propagação do coronavírus, os franceses vão às urnas neste domingo (15), no primeira volta das eleições municipais. As autoridades responsáveis pela organização das seções eleitorais prepararam-se para receber os eleitores nas melhores condições possíveis, desinfetando maçanetas, mesas e cabines de votação. Os franceses são convidados a levar uma caneta de casa. Foram tomadas medidas para evitar filas e respeitar as distâncias de segurança. O ministro do Interior, Christophe Castaner, admitiu “temer” uma participação em declínio, reconhecendo que alguns municípios consideram difícil abrir as suas seções eleitorais.

 

Alfa/RFI/AFP.


Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background