Mbemba valeu por dois e ’10’ do FC Porto chegou para Benfica

Publié le 2 août 2020

Um FC Porto com 10 e ‘sem’ treinador foi suficiente para, com dois golos de bola parada do improvável Mbemba, bater pela terceira vez na época o Benfica (2-1) e conquistar a 80.ª Taça de Portugal em futebol.

Numa final triste, porque longe do Jamor e fechada ao público, os ‘dragões’ viram Luis Díaz ser expulso aos 38 minutos, mas superiorizaram-se na mesma, com dois cabeamentos do central congolês, aos 47 e 57, na sequência de livres.

A inferioridade numérica dos ‘dragões’ só se notou no facto de o FC Porto ter sido obrigado a defender mais, mas sempre muito bem, só com um erro, de Diogo Leite, que fez um penálti escusado sobre Rafa, permitindo a Vinícius reduzir, aos 84 minutos.

Na parte final, o Benfica, no ‘desespero’, ainda assustou os ‘dragões’ num par de vezes, mas o empate seria um prémio mais do que injustificado, pois o FC Porto, mesmo com 10, foi bem mais competente, apoiado, como em toda a época, nas bolas paradas.

Depois de bater o Benfica por duas vezes para a I Liga (2-0 na Luz e 3-2 no Dragão), o FC Porto voltou, assim, a sair por cima, no que foi apenas o segundo triunfo em 10 finais da prova com os ‘encarnados – só havia vencido em 1957/58 -, selando a sua 17.ª Taça de Portugal e a oitava ‘dobradinha’, nove anos depois.

Em relação aos jogos que fecharam a I Liga, o Benfica recuperou o lateral esquerdo Nuno Tavares, que substituiu Tomás Tavares, enquanto, no FC Porto, com Uribe e Luis Díaz recuperados, Mbemba e Marega substituíram, como se esperava, Diogo Leite e Soares.

Os ‘dragões’ entraram fortes, dinâmicos, a pressionar alto e criaram uma boa oportunidade logo aos quatro minutos, com Marega a servir Corona e este a proporcionar grande defesa a Vlachodimos.

A resposta chegou num remate falhado de Chiquinho, aos seis minutos, mas os ‘dragões’ continuaram por cima até aos 20, conquistando nomeadamente cinco cantos.

Um cabeceamento de Rúben Dias contra Danilo, após livre de Pizzi, marcou a reação do Benfica, que passou a equilibrar os acontecimentos, conseguindo mais dois remates, sem perigo, de Cervi e André Almeida.

O FC Porto voltou aos 30 minutos, numa jogada entre Otávio e Corona, que Marega finalizou mal, mas, aos 38, ficou em inferioridade numérica, quando Artur Soares Dias mostrou o segundo amarelo a Luis Díaz.

O encontro tornou-se, então, muito tenso, e, após constantes protestos, o treinador portista, Sérgio Conceição, também acabou expulso, por acumulação de amarelos.

A segunda metade começou, praticamente, com o golo do FC Porto, nascido de uma falta de Weigl sobre Danilo: aos 47 minutos, Alex Teles marcou o livre na esquerda, Vlachodimos falhou a interceção e, ao segundo poste, sozinho, Mbemba cabeceou vitoriosamente.

Com menos um, mas agora em vantagem, o FC Porto baixou linhas e foi anulando sem dificuldades o ataque os ‘encarnados’, até que, do outro lado, ganhou novo livre: aos 59 minutos, Otávio bateu, na direta, e o improvável Mbemba, sozinho, ‘bisou’.

Na resposta imediata, Veríssimo trocou Weigl e Chiquinho por Vinícius e Taarabt, mas o Benfica continuou com enormes dificuldades em criar perigo, frente a um FC Porto cada vez mais fechado atrás, mais ainda após a troca de Otávio por Diogo Leite.

Os ‘encarnados’, que ainda apostaram em Jota e Dyego Sousa, ‘assustaram’ num cabeceamento de Vinícius (74 minutos), mas só reentram no jogo devido a um erro de Diogo Leite, que, de forma escusada, fez penálti sobre Rafa. Vinícius reduziu.

Faltavam ainda seis minutos, mais os descontos, e o Benfica lançou-se, então, em busca do empate, que esteve perto de conseguir num par de ocasiões: Jota acertou no poste direito (90+1 minutos) e Dyego Sousa não conseguiu encostar (90+4).

No sofrimento, na entreajuda, o FC Porto, comandado por Pepe, conseguiu, porém, segurar a vantagem e conquistar, como todo o merecimento, a 80.ª edição da Taça de Portugal, enquanto o Benfica despede-se com quase nada (Supertaça), à espera de Jorge Jesus.

 

– ‘Ranking’:

1. Benfica 26 títulos

2. Sporting 17

. FC Porto 17

4. Boavista 5

5. Belenenses 3

. Vitória de Setúbal 3

7. Académica 2

. Sporting de Braga 2

9. Leixões 1

. Estrela da Amadora 1

. Beira-Mar 1

. Vitória de Guimarães 1

. Desportivo das Aves 1

 

Alfa/Lusa.


Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background