Gentilly, França. Padre madeirense suspenso por suspeita de abusos sexuais

Publié le 2 septembre 2018

Padre exercia sacerdócio na Paróquia portuguesa de Gentilly, junto a Paris. Foi suspenso por suspeita de abusos sexuais.  Suspeito de ter abusado de um menor, o padre madeirense Anastácio Alves foi suspenso pelo bispo do Funchal que diz estar neste campo “em comunhão com o Papa Francisco” e condenar a pedofilia, informa o Diário de Notícias da Madeira. Foto: D. António Carrilho, bispo do Funchal (Por Roberto Ferreira/Madeira).

Alfa, com Diário de Notícias da Madeira, Expresso e outras fontes.

A Diocese do Funchal interpôs uma medida cautelar para suspender o padre madeirense Anastácio Alves por suspeita de abusos sexuais, informa o Diário de Notícias da Madeira.

Anastácio Alves exercia há vários anos funções de padre em França, mas o facto de ser suspeito de abuso sexual de um menor levou na Madeira o bispo do Funchal, D. António Carrilho, a decicir o seu afastamento da ação pastoral.

O padre agora suspenso exercia sacerdócio na Paróquia portuguesa de Gentilly, ao lado de Paris, na Igreja do Sacré Coeur junto ao “Periférico” que envolve a capital francesa. A igreja foi cedida aos católicos portugueses  em 1979.

O caso de alegado abuso de um menor, na Madeira, remonta a 2005,  Foi nesse ano constituído arguido num processo investigado e arquivado pelo Ministério Público.

Depois, em 2008, o sacerdote manifestou a vontade de assumir uma experiência pastoral na Suíça e em França e a hierarquia da Igreja madeirense acedeu ao seu pedido.

Segundo o Diário de Notícias da Madeira, a medida cautelar decidida pelo bispo do Funchal representa “uma importante viragem na forma como a Igreja Católica madeirense aborda este tipo de situações”.

D. António Carrilho, bispo do Funchal, assume-se neste campo “em profunda comunhão com o Papa Francisco”, no sentido em que publicamente “repudia e condena a pedofilia e é solidária com as vítimas e com as suas famílias”.

Anastácio Alves, de 56 anos foi ordenado padre em julho de 1990 e começou a sua missão junto das Comunidades portuguesas em 2008. Estava em França desde outubro de 2012. Antes, esteve 4 anos em Lausanne, na Suíça.

O bispo António Carrilho segue deste modo a “tolerância zero”  sobre crimes sexuais pedida pelo Papa. A Justiça volta a investigar o caso.

Foto: D. António Carrilho, bispo do Funchal. Por Roberto Ferreira/Madeira


Opinions des lecteurs

Laisser un commentaire


Rádio Alfa FM 98.6 Paris (On Air)

La radio de la lusophonie et des échanges interculturels de toute l'île de France

Piste actuelle
TITRE
ARTISTE

Background